quarta-feira, 11 de abril de 2012

Meu estranho desconhecido

Eu sei seu nome e o de sua família.
Conheço suas dificuldades.
Sei tocar teus lábios.
Identifico seu corpo com o meu.
E mesmo assim és distante,
É constante e ausente, um conhecido desconhecido.

Eu sei seu nome, mas não o de sua família.
Conheço suas conquistas.
Sei te deixar bravo.
Identifico seu corpo pelo olhar.
E mesmo assim és um enigma,
É presente e distante, um estranho conhecido.

Eu sei o seu nome e o de sua família.
Conheço seu dia-a-dia.
Sei te fazer sorrir.
Identifico seu corpo nos meus sonhos.
E mesmo assim és presente,
É distante e ausente, um estranho desconhecido.
Que habita os meus sonhos e que me queima de saudade.
Esse mistério faz criar fogo e fantasia.
Causa angustia e magia.
Trás quem está mais longe para acalmar a solidão.

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Em outras palavras: egoismo.

E começo a pensar que algumas pessoas são secas por dentro, como árvores mortas.
Pessoas sem sentimentos, sem sensibilidade.
Tento procurar inúmeras definições para identificar o que estas pessoas são.
No meio do dicionário, não há, e nem haverá, palavra com melhor significado, para este tipo que vos digo: EGOISTAS!
De acordo com o nosso querido Aurélio: Egoísmo é o amor excessivo ao bem próprio, sem consideração aos interesses alheios.
 
Amor? Será mesmo tanto amor por si?
Ou será simplesmente um gesto de ausência para com o outro e para consigo, também?
Pois, não há maior mal a estas pessoas que seu próprio egoismo, que as matam aos poucos...
Somos todos filhos do egoismo, mas isso não quer dizer que tenhamos que ser como ele!

Uma sexta-feira santa cheia de paz!

P.S: Previsibilidade!