quarta-feira, 11 de abril de 2012

Meu estranho desconhecido

Eu sei seu nome e o de sua família.
Conheço suas dificuldades.
Sei tocar teus lábios.
Identifico seu corpo com o meu.
E mesmo assim és distante,
É constante e ausente, um conhecido desconhecido.

Eu sei seu nome, mas não o de sua família.
Conheço suas conquistas.
Sei te deixar bravo.
Identifico seu corpo pelo olhar.
E mesmo assim és um enigma,
É presente e distante, um estranho conhecido.

Eu sei o seu nome e o de sua família.
Conheço seu dia-a-dia.
Sei te fazer sorrir.
Identifico seu corpo nos meus sonhos.
E mesmo assim és presente,
É distante e ausente, um estranho desconhecido.
Que habita os meus sonhos e que me queima de saudade.
Esse mistério faz criar fogo e fantasia.
Causa angustia e magia.
Trás quem está mais longe para acalmar a solidão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário